segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Fragmentos de mata Atlântica


A mata Atlântica de hoje se apresenta como um mosaico composto por poucas áreas relativamente extensas de vegetação, principalmente nas regiões sul e sudeste, e uma porção bem maior composta por áreas em diversos estágios de degradação (GUATURA et al. 1996). Os restantes da vegetação são fragmentos de diversos tamanhos e formas e são de fundamental importância para a existência da mata Atlântica, portanto à sua conservação.

A mata Atlântica foi uma formação vegetal continua ao longo de grande parte da região litorânea, estendendo-se desde o nordeste até o sul do Brasil, que há mais de quinhentos anos vem sendo devastada; esse ecossistema foi alterado sem mesmo ser conhecido. O resultado deste processo é que existem apenas manchas separadas da floresta.

Nas paisagens florestais transformadas da Mata Atlântica, várias pesquisas vêm sendo realizadas no que se refere à recuperação de áreas degradadas, em especial na recuperação funcional direta da floresta. Sem dúvida, para uma política conservacionista de longo prazo, a atuação em duas linhas se faz necessária pela complementaridade mútua: estabelecendo a manutenção da funcionalidade ecológica dos fragmentos que compõem as paisagens florestais atuais e a recuperação de áreas atualmente degradadas, especialmente nos trechos “protegidos” por Lei (ZAÚ, 1998).

Tendo em vista esta preocupação geral da população, é necessária a criação de centros de multiplicação do conhecimento científico e consciente, como também a educação da criança e do adolescente em relação ao meio ambiente, principalmente nas comunidades mais carentes, para que este bioma único não deixe de existir.

Ecauê Pereira da Costa

figuras modificadas de http://www.sosmatatlantica.org.br/index.php?section=atlas&action=atlas

3 comentários:

The Shaper disse...

Cristiano Campos Neves

Anônimo disse...

adorei esse blog, que pena que as postagens são antigas.

Anônimo disse...

adorei esse blog, que pena que as postagens são antigas.